O autoconhecimento como recurso para alcançar o sucesso pessoal e profissional

O autoconhecimento como recurso para alcançar o sucesso pessoal e profissional

Você já olhou no espelho e se questionou se está no caminho certo, se tem tomado as atitudes corretas e se sabe exatamente aonde quer chegar?

Se sua resposta para essas perguntas for “SIM”, é preciso olhar mais para dentro de você, se autoconhecer. Mergulhar no autoconhecimento é reconhecer a si mesmo. É desvendar suas verdadeiras qualidades e distinguir pontos na sua personalidade que podem e precisam ser aprimorados.

Este processo possibilita identificar dificuldades e desafios emocionais, medos ou convicções que limitam a conquista de metas e objetivos. Para tanto, é de extrema importância estar disposto a derrubar barreiras e se abrir para novas possibilidades.

Realizar um estudo profundo para conhecer seu “verdadeiro eu” não é uma tarefa fácil, mas se faz essencial para alcançar o sucesso pessoal e profissional. Deste modo, é possível desenvolver o que é necessário para aprimorar suas habilidades, sem interferir no que já tem de bom. E, com isso, explorar 100% da sua potencialidade e chegar ao topo.

Os filósofos gregos já consideravam o valor da autorreflexão em prol de uma vida pela.  A frase “Conhece-te a ti mesmo” difundida por Sócrates revela a importância do autoconhecimento. Por sua vez, a “Alegoria da Caverna” de Platão ressalta que, quando ficamos presos em uma realidade que consideramos única e absoluta, não abrimos espaço para novos conhecimentos e oportunidades. Mas, quando saímos da “caverna”, o horizonte se amplia e passamos a compreender melhor a realidade.

A obra “Ética à Nicômaco” de Aristóteles, grande influenciador da civilização ocidental, reafirma que o homem precisa pensar nas questões “Quem sou eu?”, “Quem quero ser?” e “Como vou alcançar isso?” para atingir a virtude, entendida como a realização da própria essência; o desenvolvimento moral e intelectual.

Ter autoconhecimento também é imprescindível para entender as causas e feitos de projetos mal sucedidos, bem como conflitos de relacionamentos – pessoais ou profissionais –, a fim de buscar a melhor maneira de superá-los. Pois, a partir do momento em que você realmente se conhece, passa a perceber (e considerar) melhor o ambiente e as pessoas ao seu redor, e adquire uma visão de mundo mais sistêmica.

Outro diferencial é que você passa a traçar planos e metas totalmente alinhados com o seu perfil.  Para exemplificar, vamos considerar o lado profissional: quantas pessoas decidem seguir uma carreira em determinada área (direito, marketing, economia, saúde…) e param no meio do caminho por perceberem que aquilo não é exatamente o que desejam fazer? Ou seja, perdeu tempo, dinheiro e energia por não se conhecer, não saber exatamente o que deseja realmente fazer de acordo com suas metas e habilidades.

A partir do momento que há autoconhecimento, existe um maior discernimento e é possível traçar um plano concreto de objetivos visando uma trajetória profissional de sucesso. Suas escolhas respeitam prioridades e desejos verdadeiros, a autoestima se eleva e você percebe que é capaz de chegar aonde quer chegar.

Mas afinal, como alcançar o autoconhecimento?

Questione-se sempre! Entenda o que te motiva, o que te incomoda e os porquês de tudo isso. Explore novas experiências e mantenha-se aberto para novas possibilidades, sempre avaliando o que e como te faz bem ou não. Assim você se torna mais consciente sobre suas preferências e toma decisões mais assertivas. Converse com quem está próximo a você, saiba como eles te veem, isso também auxilia muito no processo de “reconhecer a si” e você pode se surpreender com características no seu comportamento que até então não tinham sido percebidas.

Avalie as relações com colegas de trabalho, amigos e familiares para identificar os principais causadores de desentendimentos e divergências de pensamentos, sem julgamentos de posturas, opiniões e valores. Entender e respeitar as diferenças é primordial para um bom relacionamento interpessoal e contribui para o autoconhecimento, pois, com isso, você começa a enxergar os dois lados da moeda: a sua percepção de mundo e a visão do outro, e traça um paralelo analisando as diferenças e compatibilidades. É sempre bom lembrar que cada pessoa tem um jeito de ver e lidar com situações, e esse olhar mais amplo ajuda a construir relações sadias e produtivas.

Exercite a autopercepção sempre. Ao longo da vida você passará por incontáveis situações e experiências, positivas e negativas, e avaliar cada uma delas é essencial para dar continuidade ao processo de saber quem é você, o que te motiva e onde quer chegar.

E o sucesso, onde está?

Saber exatamente quem você é, onde quer chegar, como vai alcançar os objetivos traçados e realizar seus planos, pessoais e profissionais, é o primeiro e grande passo para a realização plena. Afinal, suas escolhas tornam-se mais coerentes, você fica mais forte e revigorado para encarar qualquer desafio e superar toda adversidade. Você toma as rédeas da sua vida!

Por fim, seguindo o pensamento sobre evolução de Charles Darwin, não é o mais forte que sobrevive, mas sim o mais adaptável à mudanças. E só é possível se moldar às mais variadas circunstâncias quando você conhece profundamente sua essência. Como já frisamos, o autoconhecimento é o alicerce para as relações interpessoais e pode torná-lo capaz de se adaptar os diferente tipos de situações. Deste modo, nasce um grande líder e seu legado será duradouro.

Deibson Silva

Deibson Silva

CEO Do CIS Assessment

Pedagogo, Psicanalista, Neuropsicólogo pela faculdade de medicina da USP

ARTIGOS RECENTES

COMPARTILHE EM SUAS REDES SOCIAIS...
Email this to someone
email
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin

Deixe uma resposta

Fechar Menu