Extrovertido ou Introvertido: quem é você nos Tipos Psicológicos de Jung?

mulher introvertida sentada no banco
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Foi no início do século XX, quando o psiquiatra suíço Carl Gustav Jung publicou o resultado de um de seus estudos mais importantes, que a personalidade humana passou a ser tratada de outro modo. É um fato consumado apontar que a obra “Tipos Psicológicos” proporcionou uma intensa contribuição ao mundo.

O estudo, no caso, enfatizou um sistema de combinações entre atitudes e funções, remetendo à distinção entre as atitudes básicas do ser humano e suas variadas características, definidas como Introversão e Extroversão

Introvertido ou extrovertido?

Nessa pesquisa, de modo simplificado de distinguir, o autor aponta as diferenças e os que os motiva. Para identificar quais dois tipos psicológicos se enquadra mais com uma pessoa, um indício é perguntá-lo o que gosta de fazer após um dia de trabalho bem cansativo e estressante.

O extrovertido provavelmente responderá que gosta de ir a um shopping, uma cafeteria etc. Enfim, socializar com outras pessoas.

Na extroversão, os estímulos são reservados ao mundo exterior objetivo, e se aplica às questões das percepções, pensamentos e sentimentos que se direcionam a lugares e pessoas. 

No oposto, o introvertido prefere lugares onde possa ficar sozinho com seus pensamentos. Pode-se apontar que é muito retraído, esboçando traços de timidez.

Na Introversão, os comportamentos são direcionados para o mundo interno subjetivo, fluindo para as estruturas e os processos psíquicos conectados com o próprio eu.

Você conhece alguém assim?

As Funções Psicológicas propostas por Jung

Para desvendar isso, Jung defendeu um ensinamento importante e determinante no contexto do funcionamento da psique, que são as quatro funções psicológicas:

  • Pensamento;
  • Sentimento;
  • Sensação;
  • Intuição.

Procurando deixar a compreensão ainda mais acessível, Jung divide as funções psicológicas em dois grupos:

  • As Irracionais (Percepção): Sensação e Intuição;
  • As racionais (Julgamento): Pensamento e Sentimento.

Pensamento

O Pensamento, por exemplo, é uma função psicológica que tem a missão de vincular ideias e sentimentos umas às outras para que possa chegar a uma solução de um determinado problema. 

É uma função nitidamente sensorial, com o objetivo de compreender a vida ao redor. As principais características do Pensamento são:

  • Lógica;
  • Racionalidade
  • Objetividade
  • Busca pelos resultados.

Sentimento

Já a Função Sentimento é avaliadora. O trabalho exercido por ela consiste em aceitar (ou rejeitar) uma ideia. Sua função é definir o que é aceitável ou não. Suas principais características são:

  • Afetividade
  • Conciliação
  • Zelo por sua subjetividade

Sensação

Segundo Jung, a Sensação é uma percepção sensorial que consiste em todas as experiências conscientes produzidas pelos órgãos dos sentidos: Visões, ruídos, cheiros, paladares e todas as sensações que se originam no interior do nosso corpo. 

Função lembrada por ser funcionar com o “Aqui e Agora, suas características principais são:

  • A utilização dos Cinco Sentidos
  • A percepção de algo concreto
  • O senso da realidade e a realização.

A Sensação nos diz que uma coisa existe, o Pensamento nos diz o que é essa coisa, o Sentimento nos informa se a coisa é agradável ou não, e a Intuição nos diz de onde ela vem e para onde ela vai.

Intuição

A intuição é a percepção que ocorre por meio de processos inconscientes e de conteúdos subliminares. Isso quer dizer que é a forma como nossa mente trabalha informações relacionadas a processos inconscientes de possibilidades futuras, objetivos a alcançar, e ao que é abstrato.

As possibilidades são mais importantes para os intuitivos do que a experiência real. Pessoas fortemente intuitivas dão significado às suas percepções com tamanha rapidez que, de modo geral, não conseguem separar suas interpretações conscientes dos dados práticos.

Agora que você já conhece mais sobre os tipos psicológicos de Jung, conheça as outras teorias em que o CIS Assessment é baseado: a teoria DISC e teoria de valores.

Até o próximo texto!

Receba mais conteúdos

Digite seu email no campo abaixo para receber os melhores conteúdos. Te enviaremos periodicamente: Artigos, Vídeos, Dicas e Materiais.

Compartilhe esse post com seus amigos!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin